O que é o design vaginal? Guia de rejuvenescimento vaginal e cirurgias estéticas íntimas

Uma “vagina de designer” é um termo amplo que define os genitais femininos esteticamente agradáveis e funcionalmente impecáveis, e os procedimentos médicos e cirúrgicos para obtê-los. Às vezes, os procedimentos para aumentar o prazer durante a relação sexual são incluídos nesta definição ampla. Vagina de design refere-se a múltiplas estruturas anatômicas na região vaginal:

  • Monte de Vênus, a área redonda do tecido adiposo subcutâneo que se estende da parte inferior do abdômen até os lábios vaginais
  • Grandes lábios, ou lábios vaginais externos
  • Pequenos lábios , ou lábios vaginais internos
  • Clitoris, localizado na porção central superior
  • Capuz do clitóris, também conhecido como prepúcio, que é a pele que cobre o clitóris
  • Vagina, o canal elástico entre a genitália externa e o colo do útero.
  • Ponto G, a área erógena dentro da vagina em sua parede anterior.
  • Hímen, a membrana mucosa que cobre parcialmente a abertura vaginal
  • Perineum, a área entre o ânus e a vulva (genitália externa)

Comentários de parceiros ou amigos, comparação com fotos e vídeos encontrados on-line, ou auto-avaliação baseada em ideais percebidos podem prejudicar a auto-estima e a autoconfiança; no passado, a estética e a funcionalidade da vagina eram consideradas um tabu, mas agora, graças às celebridades que falam sobre isso e à atenção da mídia, houve um enorme aumento no interesse e na demanda de pacientes por procedimentos estéticos intimos.

Qual é o aspecto de uma vagina de designer?

Embora não exista uma genitália feminina padrão ou ideal, pois ela varia entre culturas, a maioria das pessoas a definiria esteticamente como:

  • Pequenos lábios simétricos não projetando-se além dos grandes lábios
  • Grandes lábios simétricos e cheios, sem excesso de pele pendente
  • Capuz clitoriano curto não protuberante
  • Mons pubis não protuberante

Em geral, todas as estruturas devem ser simétricas, não devem ser visíveis ao usar roupas justas e não deve haver excesso de pele ou excesso de volume / tecido adiposo.

De um ponto de vista funcional, a genitália feminina ideal deve:

  • Não causar desconforto, dor ou irritação. Isto acontece freqüentemente ao usar roupas justas, praticar esportes ou durante outras atividades físicas.
  • Não interferir nas relações sexuais.
  • Não causar preocupação com a higiene.
  • Sentir prazer durante as relações sexuais.

Além da anatomia individual, também o envelhecimento, fatores congênitos, trauma, gravidez ou parto podem modificar a anatomia intima feminina, bem como causar problemas como dor e desconforto, incontinência ou diminuição da sensação.

Quais cirurgias e procedimentos estão disponíveis para o design vaginal?

Há alguma confusão no que diz respeito aos nomes dos procedimentos disponíveis para a cirurgia estética genital feminina. Aqui está uma visão geral dos procedimentos e nomes cirúrgicos e não cirúrgicos mais comuns utilizados, tanto os termos médicos como os termos gerais que você pode encontrar on-line.

  1. Redução de pequenos lábios ou ninfoplastia ou lábiaplastia
  2. Redução de grandes lábios vaginais
  3. Aumento de grandes lábios
  4. Redução do capuz do clitoris ou clitoropexia
  5. Perineoplastia
  6. Rejuvenescimento vaginal
  7. Vulvoplastia
  8. Vaginoplastia também conhecida como rejuvenescimento vaginal ou colporrafia
  9. Estreitamento vaginal não cirúrgico, também conhecido como rejuvenescimento vaginal não cirúrgico
  10. Himenoplastia ou reconstrução de hímen
  11. Monsplastia ou lipoaspiração de monte de Vênus com lifting púbico
  12. Depilação Intima
  13. Aumento do ponto G ou amplificação do ponto G ou injeção G
  14. Injeção O (injeção do orgasmo)
  15. Clareamento Vulvar e clareamento anal

Esses procedimentos às vezes podem ser combinados para melhores resultados e para atender às expectativas da paciente. Além disso, alguns procedimentos podem causar alterações em outras regiões anatômicas: a redução dos lábios pode expor excessivamente a pele do clítoris, exigindo uma redução subseqüente ou concomitante do capuz do clítoris; uma perineoplastia geralmente produz também o efeito estético de unir os lábios maiores. Por este motivo é importante ser tratado por cirurgiões com ampla experiência em cirurgia genital feminina estética, a fim de evitar a necessidade de procedimentos desnecessários ou de cirurgias corretivas subseqüentes.

Cirurgia de Redução de Pequenos Lábios

Também conhecida como ninfoplastia ou labiaplastia, a cirurgia de redução dos pequenos lábios aborda um dos problemas mais comuns relatados pelos pacientes: lábios internos salientes além dos grandes lábios, que também podem ou não ser assimétricos. É uma das operações genitais femininas mais solicitadas com uma demanda crescente nos últimos anos: estima-se que 90% dos procedimentos estéticos intimos nas mulheres envolvem os pequenos lábios. Há duas técnicas cirúrgicas principais disponíveis e o resultado parece melhorar não só o estado psicológico da paciente graças à melhora da estética, mas também melhorar a satisfação sexual e diminuir ou resolver a dor durante o ato sexual.

Redução de grandes lábios vaginais

Também conhecida como majoraplastia, a cirurgia de redução dos grandes lábios visa reduzir a flacidez, o excesso de pele ou o depósito de gordura em excesso dos grandes lábios. Pode ser realizada como um procedimento isolado, ou em conjunto com a cirurgia de redução dos pequenos lábios, ou como uma cirurgia em duas fases.

Aumento de grandes lábios

Devido ao envelhecimento, mudanças associadas a hormônios ou gravidez, ou devido à perda maciça de peso, os grandes lábios podem perder volume e plenitude. Um cirurgião pode realizar o aumento dos lábios por transferência de gordura ou injeção de preenchimento para restaurar o volume perdido e tratar do flacidez.

Redução do capuz do clitoris

A cirurgia de redução do capuz do clitóris é a redução do excesso de pele que cobre o clitóris.

A clitoropexia é uma das razões mais comuns pelas quais os pacientes podem procurar uma cirurgia de revisão após a lábiaplastia: o corte dos pequenos lábios pode fazer com que a pele do capuz do clítoris se projete ou seja mais visível, resultando em pedidos de cirurgias adicionais. Por esta razão, a redução da capuz clitorial é freqüentemente realizada em combinação com a labiaplastia.

Perineoplastia estética

Também conhecida como perineorrafia, a perineoplastia aborda a frouxidão muscular e tecidual da região perineal e a abertura vaginal. Isto pode ser causado pela obesidade, pelo parto ou pelo envelhecimento fisiológico. O procedimento também pode apertar a parede vaginal inferior, caso em que é chamado de colpoperineoplastia. A perineoplastia também pode se referir ao procedimento oposto, realizado para soltar a abertura vaginal e a musculatura perineal em mulheres que sofrem de dispareunia, que é a dor durante a relação sexual.

Rejuvenescimento vaginal

Rejuvenescimento vaginal é um termo de marketing/comercial usado para se referir a qualquer uma das muitas cirurgias plásticas intima femininas, bem como aos procedimentos não invasivos e minimamente invasivos que podem ajudar a conseguir uma aparência mais jovem dos genitais, bem como melhorar a sensação e a satisfação sexual.

Vulvoplastia

Vulvoplastia é um termo médico que significa literalmente remodelação da vulva. Refere-se a qualquer um dos muitos procedimentos de cirurgia plástica que remodelam a vulva que inclui os grandes lábios, os pequenos lábios, o clitóris e o capuz do clitóris, a abertura vaginal e os monte de Vênus.

Vaginoplastia estética

Muitas vezes chamada de estreitamento vaginal cirúrgico e também conhecida como colporrafia, a vaginoplastia é um procedimento para apertar as paredes do canal vaginal. Devido ao parto, envelhecimento ou outras razões, uma mulher pode experimentar um laxismo vaginal que resultará em insatisfação sexual. Com esta cirurgia, parte da mucosa pode ser removida, enquanto que os músculos e outros tecidos são apertados através de suturas, resultando em um canal vaginal mais estreito e maior satisfação sexual.

Estreitamento vaginal não cirúrgico

A vaginoplastia não-cirúrgica envolve o uso de dispositivos médicos a laser ou radiofrequência dentro da vagina. A energia e o calor produzidos por tais dispositivos estimulam a produção de colágeno, induzindo assim o estreitamento vaginal. O tratamento parece melhorar também a incontinência urinária de esforço leve e moderada. ThermiVa®, FemiLift®, IntimaLase® e MonaLisa Touch® são algumas das marcas mais conhecidas de tais dispositivos.

Himenoplastia ou reconstrução de hímen

A himenoplastia, também conhecida como revirginização, é o reparo ou reconstrução do hímen. Isto pode ser feito para crenças socioculturais ou como uma forma de recuperar o controle após uma agressão sexual em conjunto com a psicoterapia.

Monsplastia ou lipoaspiração de monte púbico com lifting púbico

A monsplastia aborda o abaulamento da almofada de gordura na área de monte de Vênus. Também pode haver excesso de pele na área que exigirá um procedimento de lifting da pele púbica. Muitas vezes quando há excesso de gordura na área de monte púbico, os grandes lábios também têm excesso de volume. O excesso de gordura e volume nestas áreas é freqüentemente causado pela obesidade ou pelo excesso de peso, e a perda de peso por si só raramente elimina tais depósitos de gordura, exigindo, portanto, intervenção cirúrgica.

Depilação íntima permanente

A depilação IPL ou depilação genital a laser são tratamentos permanentes para evitar os pêlos encravados recorrentes, dor, recrescimento, assim como o tempo e dinheiro gastos com depilação com cera ou outros procedimentos temporários de depilação íntima.

Amplificação do ponto G ou injeção g

Também conhecido como G-Shot, a amplificação do ponto G é um procedimento não cirúrgico para aumentar o prazer sexual através do aumento da sensibilidade do ponto Grafenberg. A amplificação do ponto G consiste na injeção de um preenchimento dérmico diretamente no ponto G.

Injeção O ou injeção de orgasmo

O Injeção O é outro procedimento não-cirúrgico para melhorar o disfuncionamento sexual e aumentar o prazer sexual. Ele usa plasma rico em plaquetas (PRP) que é injetado na área do clitóris e no ponto G.

Clareamento Vulvar e clareamento anal

O clareamento vaginal e anal para uniformizar o tom da pele na área genital pode ser alcançado com uma variedade de tratamentos, incluindo a aplicação de alfa hidroxiácidos, peelings químicos e lasers médicos.

Riscos e controvérsias sobre os procedimentos de rejuvenescimento vaginal

Alguns profissionais médicos e associações médicas levantam preocupações sobre cirurgias e procedimentos genitais estéticos. Os principais, segundo o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG), são:

  1. Como qualquer outro procedimento médico ou cirúrgico, há alguns riscos. Sendo procedimentos estéticos, eles não são medicamente indicados.
  2. Há falta de estudos de longo prazo sobre essas cirurgias e procedimentos. Não há dados de alta qualidade para entender a eficácia de tais procedimentos, assim como seu perfil de risco e possíveis complicações.
  3. Há uma grande variabilidade no aspecto da genitália feminina. As pacientes devem estar cientes de que tamanho, forma e cor variam consideravelmente entre as mulheres; o envelhecimento, parto e hormônios (puberdade, menopausa, …) modificam ainda mais a aparência dos genitais femininos. Além disso, não há um padrão de beleza. O aconselhamento pré-operatório do paciente é essencial.

Para informações mais detalhadas sobre os procedimentos específicos e seus potenciais riscos e complicações, confira os artigos dedicados!

Referências
  • Female genital cosmetic surgery: the good, the bad, and the ugly.
    M Serati, S Salvatore – International Urogynecology Journal, Jun 2018
  • Elective Female Genital Cosmetic Surgery: ACOG Committee Opinion, Number 795
    PF Schnatz, LA Boardman – Obstetrics & Gynecology, Jan 2020
  • Essential of Aesthetic Surgery.
    JE Janis – Thieme, 2018
  • Female Cosmetic Genital Sugery – Concepts, Classification, and Techniques.
    CA Hamori – Thieme, 2017
  • Plastic Surgery Principles, Volume 2: Aesthetic, 4th Edition
    JP Rubin – Elsevier, 2018
  • International Textbook of Aesthetic Surgery
    N Scuderi – Springer, 2016
  • Aesthetic and Functional Labiaplasty
    S Gress – Springer, 2017
  • The Art of Aesthetic Surgery Principles and Techniques – 2nd Edition
    F Nahai – Quality Medical Publishing, 2011
  • The Unfavorable Result in Plastic Surgery – Avoidance and Treatment, 4th Edition
    MN Cohen – Thieme, 2018
  • American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG)
  • American Society of Plastic Surgeons (ASPS)

Share:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk
Share on tumblr
Share on mix
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp

Save time and energy

For doctors or clinics recommendation, more information on the topic of this article or a free quotation

Subscribe to the Newsletter